Connect with us

Temporada de Montanhismo: 12 trilhas e passeios para estar em contato com a natureza em Petrópolis

Lazer

Temporada de Montanhismo: 12 trilhas e passeios para estar em contato com a natureza em Petrópolis

No dia 22 de maio teve início à temporada de montanhismo em Petrópolis. Época em que as noites são mais bonitas, chove pouco devido ao clima seco, e as cores do solstício proporcionam fins de tarde que se assemelham a pinturas, o período é marcado pelo desbravamento das várias trilhas e passeios mantidos pela cidade. Em conversa com o guia de montanhas André Vasconcellos, o Sheik, selecionamos algumas das opções que certamente te farão se apaixonar por esse outro lado de Petrópolis.

Trilhas leves:

1. Castelinho

Considerada uma das trilhas mais clássicas de Petrópolis, a trilha do Castelinho, ou Meu Castelo, no Morin, é parada certa de quem quer desfrutar de uma vista fenomenal do Rio de Janeiro e da Baía da Guanabara em menos de uma hora de caminhada.

Fotos: Arquivo/Sou Petrópolis

Um dos principais diferenciais da trilha do Castelinho quando comparada a outras da cidade é a sua sinalização. Somada às várias placas pelo caminho que aumentam a sensação de segurança do visitante, o percurso é muito bem demarcado e de fácil acesso, tanto que a subida costuma levar de 40 minutos a uma hora.

Como chegar?

Dirija até a Estrada Torres do Morin, próximo ao número 45. Por lá você vai ver uma entrada estreita, onde é possível subir de carro até um pátio, que costuma servir de estacionamento para os visitantes. Em frente ao pátio está o ponto de partida da trilha. Para seguir o GPS, clique aqui.

Saiba mais: Castelinho: tudo o que você precisa saber antes de fazer uma das trilhas mais clássicas da cidade

2- Pedra do Quitandinha

O nome da trilha vem do bairro onde ela se encontra: Quitandinha. A trilha é de apenas meia hora de caminhada: super curtinha e rápida de fazer. Ideal para quem tem pouco condicionamento físico ou pouco tempo para fazer grandes travessias.

Fotos: Instagram @jhonattanrj e Arquivos Sou Petrópolis

A recompensa para quem chega ao final da trilha é a vista do imponente Palácio Quitandinha e em dias claros, também é possível avistar o Rio de Janeiro e as montanhas da Serra dos Órgãos. O percurso não apresenta muitas dificuldades e é de fácil orientação.

Como chegar?

Você deve seguir pela Rua Uruguay e pegar a primeira a esquerda, fazendo uma curva bem fechada. Siga sempre pela rua asfaltada e vá subindo. Em um momento, você vai ver que a rua passa a ser de terra. Continue mais um pouco, até quando não der mais para o carro subir. É ali que você deve estacionar e começar a caminhada a pé. Para seguir o GPS, clique aqui.

Saiba mais: Pedra do Quitandinha: tudo o que você precisa saber antes de visitar o local

3. Pedra do Cortiço

Essa trilha, que também é conhecida como Morro do Cortiço, fica no bairro de São Sebastião e é considerada uma das mais fáceis da cidade. Levando apenas 45 minutos de caminhada, você consegue chegar ao topo e curtir a paisagem do alto.

Foto: Arquivo/Sou Petrópolis

Apesar da trilha começar em mata fechada e ser pouco sinalizada, ela é bem intuitiva e curta, ou seja, bem fácil de ser concluída. Ela oferece uma vista linda de toda a cidade de Petrópolis e permite avistar desde o Parque Nacional da Serra dos Órgãos à Floresta da Tijuca.

Como chegar?

A caminhada se inicia por uma ruazinha bem estreita, de paralelepípedos, chamada Rua Indaiá, ao lado da da Igreja de São Sebastião. Entrando nessa rua, caminhe por alguns minutos e logo verá o início da trilha bem discreto à sua esquerda. É um caminho nada convencional, que entra pelo matagal na beira da Rua Indaiá e pode passar despercebido por quem não conhece, já que não existe nenhuma sinalização no local. Para seguir o GPS, clique aqui.

Saiba mais: Saiba como chegar até a Pedra do Cortiço; subida leva menos de uma hora

Percursos médios:

4. Alto da Ventania

Com altitude de 1270 metros, essa trilha é considerada a mais “complexa” dentre todas as da lista. A subida até o cume leva em torno de 1h – 1h30 para ser feita, mas em compensação a vista é uma das mais encantadoras, sendo também um ótimo lugar para se aventurar mais e mais, acampando.

Fotos: Breno Madeira

Um dos aspectos que mais chamam a atenção no Alto da Ventania é o caminho até o topo. É sem dúvida um dos caminhos mais belos, repleto de vegetação e cenários diferentes. Uma dica boa é não escolher a época de verão para visitar a trilha, já que é o momento do ano do qual chove mais na região.

Como chegar?

O início da trilha do Alto do Ventania pode ser um pouco confuso. Sugerimos clicar aqui para conferir mais detalhes, com imagens, ilustrando o caminho.

Saiba mais: O que você precisa saber para realizar a travessia Cobiçado – Ventania em Petrópolis

5- Pedra de Itaipava

Tida por muitos como uma das trilhas mais lindas de toda a serra carioca, a Pedra de Itaipava tem a maior elevação do distrito! Com vista 360º para as montanhas, a trilha se tornou um dos destinos preferidos do público na pandemia.

Fotos: @adrianopenomundo e @thiago_miguel015

Considerada uma trilha de dificuldade moderada, o tempo de subida da Pedra de Itaipava costuma variar entre 1h30 e 2 horas de duração! De lá é possível avistar todo o distrito de Itaipava, o circuito de montanhas do Taquaril, quase todo o Monumento Natural Estadual da Serra da Maria Comprida e o Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

Como chegar?

Para chegar até a entrada da trilha você terá que pegar a estrada do Ribeirão Grande, na BR-040. Depois do Condomínio Chamonix, entre na segunda rua à esquerda e siga até o final da Rua B. A entrada da trilha – com área para estacionar – fica logo depois do ponto onde terminam as casas da rua. Apesar de bem sinalizada, para garantir mais segurança o ideal é ir acompanhado de alguém já familiarizado com a trilha ou então com um guia.

Saiba mais: Pedra de Itaipava: tudo que você precisa saber antes de fazer a trilha

Unidades de Conservação da cidade:

*Demandam experiência e, por isso, recomenda-se o acompanhamento de guias

6- PARNASO – Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Terceiro parque mais antigo do Brasil e uma das mais importantes reservas biológicas de proteção à Mata Atlântica no Rio de Janeiro, o PARNASO conta com 200 quilômetros de trilhas, sendo a maior rede da atividade no país. Entre elas, está a famosa travessia Petrópolis-Teresópolis, tida como a mais bonita do Brasil, conhecida pelo seu tamanho e dificuldade

Fotos: Luiz Henrique Lucas – Alexandre Milhorance

7- Monumento Natural da Pedra do Elefante – Circuito de Montanhas do Taquaril

Situado no Circuito de Montanhas do Taquaril, o Monumento Natural da Pedra do Elefante é destaque na região rodeada por serras. O percurso costuma levar entre 3 e 4 horas e, por isso, é importante que o trajeto seja acompanhado por um guia. A pedra forma um par de cumes também conhecidos por Jacuba Maior e Menor.

Fotos: Reprodução/Blog Trilhas, Natureza e Fotografia

8- Monumento Natural Estadual da Serra da Maria Comprida

Com 1.926m de altitude, a Maria Comprida não é a montanha mais alta, mas é tida pelos montanhistas como uma das mais impressionantes do município. O monumento conta com paredões verticais que ultrapassam os mil metros de altura, e é famoso também por suas lendas, como a de que em seu cume habitavam sacis e mulas sem cabeça. O percurso é tido, ainda, como a maior travessia dentro de uma cidade, indo do Vale das Videiras até Itaipava.

Fotos: Reprodução/Instagram @adilsonjpa

9- Refúgio de Vida Silvestre Estadual da Serra da Estrela

Integram a área de conservação do Refúgio em Petrópolis a Pedra do Cortiço, no São Sebastião; as duas pistas de voo livre no Parque São Vicente e no Simeria; a trilha Caminhos do Ouro, que fica na Serra Velha e liga Petrópolis ao município de Magé; o Mirante do Cristo, na BR-040; além de vias de escalada, na Pedra do Cortiço, Pedra do Rolador e Agulha do Cuíca. 

Fotos: Arquivo/Sou Petrópolis

Travessias:

Em conversa com o guia de montanhas André Vasconcellos, o Sheik, ainda descobrimos uma série de outras opções de travessias disponíveis na cidade, como a que liga Araras a Secretário, Araras a Itaipava, Araras ao Vale das Videiras, o Caminho do Ouro – na descida da Serra, e a Travessia Uricanal, que faz a ligação entre os bairros do Caxambu e Bonfim.

Fotos: Reprodução/Instagram @surayadaltro – @jansen_cristiano

Aqueles que quiserem realizar a contratação de experientes guias de atrativos naturais e, acima de tudo, apaixonados pelas montanhas, podem fazer contato com a Guapo Adventure Turismo. Eles oferecem serviços de guiamento para trekking, montanhismo e rapel. Para mais informações sobre opções e percursos de trilhas em Petrópolis, basta falar com:

Guia André Vasconcellos – (24) 99204-7713
Guia Luana Manhães – (24) 98807-7721

Dicas importantes:

Como qualquer outro passeio na natureza, é preciso tomar alguns cuidados:

  • Evite o local em dias chuvosos ou com previsão de chuva;
  • Se não conhecer o caminho, vá acompanhado de alguém que conheça;
  • Prefira horários de dia para fazer a trilha. Fazer o percurso de volta no escuro não é indicado, pois você pode errar o caminho;
  • Não remova plantas, alimente animais ou deixe restos de frutas pelo caminho;
  • Recolha todo o seu lixo e, de forma alguma, faça fogueira na vegetação. Deixe pegadas e leve somente fotos do passeio!

Bônus: áreas de livre acesso para ver o pôr do Sol

Além das trilhas e percursos que demandam energia e planejamento, Petrópolis conta com áreas de livre acesso para ver o pôr do Sol, assim ninguém fica sem poder acompanhar os espetáculos da natureza. Alguns desses locais são:

10- Mirante da Serra:

em um acostamento ao lado direito da descida da Serra de Petrópolis (para quem conhece bem a rodovia, fica na altura do radar de 70km/h);

Foto: Reprodução/Instagram @calicewerdan

11- o Mirante do Cristo:

fica na Rodovia Washington Luís (BR-040), na altura do km 39,5 da subida da Serra;

Foto: Instagram @duda_afonso

12- o Mirante da Serra de Petrópolis x Teresópolis:

na BR-495 (Estrada das Hortênsias). A dica é ir através do GPS.

Foto: @tonaserra

Saiba mais: 16 lugares incríveis para ver o nascer ou pôr do sol em Petrópolis

Veja também:

Continue Reading

Você também vai gostar

Subir