Connect with us

8 antes x depois de Petrópolis para viajar no tempo

História

8 antes x depois de Petrópolis para viajar no tempo

Jornalista reúne fotos, histórias e memórias da Cidade Imperial em seu blog pessoal.

E se você pudesse viajar (para o passado) sem nem precisar sair de Petrópolis? É essa a premissa do trabalho da jornalista Carolina Freitas. Petropolitana, ela tem se dedicado ao resgate da memória da cidade, seja a partir de reportagens sobre o comércio tradicional local ou pela postagem de comparativos visuais que colocam, lado a lado, o ontem e o hoje da Cidade Imperial.

As publicações acontecem em sua página no Instagram, a @petropolisoblentes. Nos encantamos pelo trabalho desenvolvido pela Carolina e reunimos oito dos nossos comparativos favoritos publicados por ela. Vem ver!

1. A vista da Pedra do Quitandinha ao longo dos anos

Pelo visto não é de hoje que a trilha da Pedra do Quitandinha é alvo de quem busca uma vista panorâmica da região. Aliás, difícil acreditar que o local tenha mudado tanto (principalmente no que diz respeito à ocupação) em tão pouco tempo! A primeira imagem foi extraída por Carolina do livro ‘Apostas Encerradas’, do jornalista Flávio Mena Barreto.

Fotos: Arquivo pessoal Ângela Maria Gomes Porto Rocha e Tiago Fernandes (@tiagofernandesphotography)

2. A capela no pátio do Museu Imperial

Talvez você não saiba, mas houve uma época em que o prédio do Museu Imperial foi ocupado pelos colégios católicos São Vicente de Paulo e Notre Dame de Sion. Na época do Sion – dedicado exclusivamente a meninas – uma capela chegou a ser construída nos fundos do Palácio, trecho que hoje abriga um estacionamento.

Fotos: Museu Imperial/Ibram/MinC e Bruno Avellar

Imagens, no mínimo, curiosas!

Saiba mais sobre a capela do Museu Imperial aqui: http://petropolisoblentes.com.br/2018/04/30/ja-imaginou-estudar-no-palacio-imperial/

3. O Quartel do Corpo de Bombeiros como fábrica

Pois é, já estamos tão habituados a ver o Quartel do Corpo de Bombeiros na Barão que muitos de nós nem sequer imaginavam – ou lembravam – que por um tempo aquele prédio foi ocupado pela fábrica da Casa Gelli: tradicional produtora de móveis na cidade no passado. O local nem parece o mesmo. Impressionante!

Fotos: Arquivo pessoal Mário Gelli e Bruno Avellar

Saiba mais sobre a Casa Gelli aqui: http://petropolisoblentes.com.br/2018/08/05/casa-gelli-da-fabrica-a-loja-marcando-geracoes/

4. O barquinho à deriva no Bingen

Essa é, de longe, uma das imagens mais surpreendentes que já vimos sobre Petrópolis! Ela traz uma edificação em formato de navio que nos anos 70 abrigou uma casa noturna. A boate, que ficava no Rio Piabanha, em frente à Werner, era sucesso e chegou, inclusive, a receber artistas como Wilson Simonal e Grande Otelo. Petrópolis sendo Petrópolis, rs!

Fotos: Reprodução/Internet e Bruno Avellar

Saiba mais sobre o Barquinho do Bingem aqui: http://petropolisoblentes.com.br/2019/07/07/847/

5. A ‘Vinida’ sem árvores e com ruas largas

Como bem vimos até aqui, Petrópolis passou por inúmeras transformações nos últimos anos. Alguns positivas, outras nem tanto, mas no que diz respeito à arborização, ah, quanto a isso a opinião é unânime! Nossa cidade fica ainda mais bonita com os tons de verde que a colorem. A primeira imagem foi obtida junto à Biblioteca Digital do IBGE.

Fotos: Biblioteca IBGE e Arquivos Sou Petrópolis

6. O Alto da Serra como nunca antes visto

O Alto da Serra é hoje uma das regiões mais populosas da cidade, o que torna difícil acreditar que, um dia, era possível contar nos dedos as edificações ao redor da Igreja de Santo Antônio. O templo foi fundado em 1905 e, como a fotografia bem aponta, já naquela época se destacava na região, então praticamente deserta!

Fotos: Museu Imperial/Ibram/MinC e Reprodução/YouTube/Guilherme Rozicky

7. A Catedral São Pedro de Alcântara sem torre

Majestosa que só ela, já era de se esperar que uma obra de tanta grandiosidade quanto a da Catedral São Pedro de Alcântara tivesse levado tempo para ser concluída. E, de fato, foram mais de 90 anos até que o projeto saísse completamente do papel. A inauguração da torre da Catedral, que pesa 60 toneladas, aconteceu em 1969.

Fotos: Museu Imperial/Ibram/MinC e Bruno Avellar

Saiba mais sobre a história da Catedral São Pedro de Alcântara aqui: http://petropolisoblentes.com.br/2018/05/12/catedral-uma-historia-de-perseveranca/

8. A partida de futebol no gramado do Museu

Não estávamos brincando quando dissemos que o prédio do Museu já foi ocupado por alunos. Nesse clique aparecem estudantes do Colégio São Vicente de Paulo, que como a imagem bem revela, ficavam bem à vontade no gramado. E você? Ia gostar da ideia de estudar no prédio do Museu Imperial?

Fotos: Museu Imperial/Ibram/MinC e Bruno Avellar

Saiba mais sobre a história do Museu Imperial aqui: http://petropolisoblentes.com.br/2018/04/30/ja-imaginou-estudar-no-palacio-imperial/

Outras curiosidades, imagens e vídeos antigos sobre Petrópolis podem ser conferidos na página @petropolisoblentes, de autoria da jornalista Carolina Freitas, ou no site petropolisoblentes.com.br: plataforma em que reúne reportagens sobre casas comerciais tradicionais tidas pela cidade.

Veja também:

Essa matéria foi feita em parceria com o Blog Petrópolis Sob Lentes
visitar Petrópolis Sob Lentes Petrópolis Sob Lentes no instagram
Continue Reading

Você também vai gostar

Subir