Connect with us

7 passeios para curtir o dia no PARNASO, em Petrópolis

Lazer

7 passeios para curtir o dia no PARNASO, em Petrópolis

O Parque Nacional da Serra dos Órgãos, carinhosamente chamado de PARNASO, reserva inúmeras belezas naturais na sua sede de Petrópolis, que fica localizado na Estrada do Bonfim, no Bairro de Corrêas. Que tal conhecer alguns dos passeios mais interessantes para fazer por lá? Confira as dicas do Mala de Aventuras!

1. Poço Paraíso – Circuito das Bromélias

Apenas 20 minutos após o início do circuito, esse é um passeio para todas as idades. Na subida para o poço as pedras formam uma espécie de escada, que facilita ainda mais o acesso.

Foto Mala de Aventuras

Nível de dificuldade da trilha: Fácil.

Destaques: Ótima parada antes de continuar o Circuito das Bromélias, já que é um poço bem amplo, com 550m de extensão e ideal para dar um bom mergulho. O Poço Paraíso é um dos mais famosos e pelo fácil acesso costuma ficar bem cheio, principalmente nos fins de semana.

2. Poço dos Primatas – Circuito das Bromélias

Um pouco depois do Poço Paraíso, essa é a última parada do Circuito das Bromélias, basta uma caminhada de 50 minutos. Para chegar até lá, é importante tomar cuidado já que é preciso atravessar um rio e algumas pedras que podem estar escorregadias.

Foto Mala de Aventuras

Nível de dificuldade da trilha: Fácil.

Destaques: É considerado um dos poços mais bonitos do PARNASO e é o último do Circuito das Bromélias, que tem esse nome justamente porque você encontrará muitas delas pela trilha. Como não bate sol durante todo o dia, o melhor horário para visitá-lo é entre 12h e 14h.

Confira mais informações sobre as cachoeiras do Circuito das Bromélias aqui.

3. Cachoeira do Véu da Noiva

A Cachoeira Véu da Noiva tem uma trilha própria e bem sinalizada. São cerca de 1h30 de caminhada, com algumas subidas mais íngremes.

Foto Mala de Aventuras

Nível de dificuldade: Moderado.

Destaques: Sem precisar sair da trilha você pode fazer uma parada na Gruta do Presidente para um descanso. A Cachoeira Véu da Noiva tem 32 metros de queda e, para os mais aventureiros, ainda é possível fazer um rapel.

4. Cachoeira das Andorinhas

Como fica pertinho da Véu da Noiva, a cerca de 5 minutos de caminhada, a trilha é a mesma, portanto é preciso ter disposição para as subidas mais acentuadas.

Foto Mala de Aventuras

Nível de dificuldade: Moderado.

Destaques: A Cachoeira das Andorinhas é um pouco maior que a Véu da Noiva e por isso é uma parada imperdível. Como é menos conhecida, não fica tão cheia e o poço é ótimo para nadar. Próximo à queda d’água o poço fica mais fundo e nadar com cautela nunca é demais. Nessa cachoeira não bate muito sol, por isso, é melhor visitar nos dias de muito calor se não quiser passar frio.

5. Bate e volta no Açú

Essa é uma trilha mais desafiadora, afinal, são 5h de subida. É preciso ter bastante fôlego, mas é possível, sim, fazer essa trilha em um único dia. A trilha é muito bem sinalizada e bem frequentada, não tem erro. Em seguida, você chegará ao Chapadão do Açu, que já é bem mais plano e próximo ao ponto final da trilha: o Morro Açú. Lá a vista é simplesmente deslumbrante e recompensa todo o esforço.

Não deixe de ir aos dois mirantes – o Castelos do Açu e o Cruzeiro – para aproveitar o visual incrível do alto de 2.245 metros de altitude. Outra dica é ir com bastante disposição e com uma mochila leve, já que a trilha é cansativa. Protetor solar e repelente também são essenciais.

Foto Mala de Aventuras

Saiba mais sobre a trilha do Morro Açú aqui.

Nível de dificuldade: Pesado.

Destaques: Após umas 3h de caminhada você chegará ao Ajax, onde poderá encher sua garrafa d’água, descansar um pouco e apreciar a vista. Dali em diante a trilha fica mais difícil, com muitas subidas no trecho apelidado de Isabeloca.

6. Nascer do sol nos Castelos do Açú

A trilha é a mesma que foi mencionada a cima, mas nesse caso você terá que passar a noite por lá para poder curtir o nascer do sol mais lindo de Petrópolis.

No abrigo podem ficar hospedados até 30 pessoas, divididas entre 12 beliches e 18 bivaques, que também precisam ser comprados com antecedência. Respectivamente R$43,00 e R$27,00 a diária. Já a área de camping pode receber até 70 pessoas. A cozinha é bem equipada e você pode preparar suas refeições tranquilamente. É bom só ficar atento, pois lá não há tomadas para recarregar equipamentos eletrônicos.

Foto Mala de Aventuras

É necessário levar sua própria roupa de cama ou sacos de dormir térmicos caso opte pelo bivaque ou camping.

Depois de repor as energias com uma boa noite de sono, é só acordar cedinho e assistir ao nascer do sol sentado na Pedra da Tartaruga, que são as formações rochosas no cume da montanha, onde estão os Castelos do Açú.

O sol nasce na direção do Dedo de Deus e da Pedra do Sino. É uma vista encantadora.

Nível de dificuldade: Pesado.

Destaques: É atrás dos Castelos do Açú, onde fica a área de camping e o abrigo. Embora seja bem rústico, as instalações são excelentes e o local é super sustentável. O abrigo tem energia solar e o banho é controlado a apenas 5 minutos. Porém, não se preocupe pois o chuveiro tem água quente, só é preciso comprar um passe com antecedência (R$16,00). Para quem não se importa com a água gelada, pode optar pelo chuveiro frio, que é grátis.

Preço: Entrada no PARNASO – R$4,00 para moradores do entorno do parque e R$35,00 + Abrigo:  R$43,00 a diária na beliche ou R$27,00 no bivaque.

7. Trilha do Alicate

A trilha é, até certo ponto, a mesma para o Morro Açú e leva 2h30 para chegar até o topo da montanha.

Na volta, a dica é parar na Cachoeira do Alicate, no caminho da trilha. Para chegar lá basta descer até o rio (que você passou pelo caminho) e atravessar para o outro lado da margem. Ali você verá a trilha à esquerda. Basta uma caminhada rápida para chegar até a cachoeira com dois poços ótimos para se refrescar depois do esforço da subida para o Morro do Alicate.

Foto 1: Mala de Aventuras e Foto 2: Instagram @thoombello

Essa cachoeira é pouco conhecida então é uma ótima sugestão para quem quer curtir um passeio bem sossegado e em contato com a natureza.

Nível de dificuldade: Moderada

Destaques: Há trechos da trilha em que é importante ter muito cuidado, pois ela é escorregadia e bem íngreme. A vista do alto do cume é sensacional, dá para ver a parte de cima da Cachoeira Véu da Noiva e a exuberante natureza local.

Vale lembrar:

– A sede do PARNASO de Petrópolis não possui estacionamento.

– Evite as cachoeiras em dias chuvosos pois as pedras estão escorregadias e pode ocorrer as trombas d’água. Além disso, não há guarda-vidas nessas áreas.

– Sempre leve repelente e protetor solar.

– Para as trilhas mais pesadas é importante usar roupas e botas apropriadas. Lanternas e bastões de caminhada também são muito úteis.

– Para visitas guiadas ao PARNASO, confira a lista de condutores, clicando aqui.

– Preço de entrada no PARNASO:

R$4,00 para moradores de Petrópolis e demais cidades do entorno do parque (mediante apresentação de comprovante de residência).

R$18,00 para brasileiros.

R$35,00 para demais visitantes.

– Mais informações: parnaso.tur.br/

Veja também:

 51 experiências para viver em Petrópolis em 2019

7 lindas cachoeiras para aproveitar o verão em Petrópolis

Essa matéria foi feita em parceria com o blog Mala de Aventuras
visitar Mala de Aventuras Mala de Aventuras no instagram
Continue Reading

Você também vai gostar

Subir