Connect with us

Acabou, mas deixou saudade: 10 atividades e locais que fazem falta em Petrópolis

História

Acabou, mas deixou saudade: 10 atividades e locais que fazem falta em Petrópolis

Durante a quarentena não são raras as vezes em que nos pegamos com saudade do passado. Tanto um passado próximo, de meses atrás; quanto aquele distante, que nos remete às atividades e estabelecimentos comerciais que costumavam agitar o dia a dia em Petrópolis. Apertem os cintos, porque nossa viagem ao passado está prestes a começar.

Confira, a partir de agora, 10 estabelecimentos e atividades que, por mais que tenham se encerrado há tempos, em nada diminuíram a saudade dos petropolitanos. A lista foi preparada com carinho levando em consideração as sugestões dadas por vocês, leitores, em nosso perfil no Instagram @soupetropolis.

1. Casa Itararé 

A coxinha-creme mais famosa de Petrópolis era de lá, assim como os crocantes biscoitos, saborosos doces e inigualáveis importados da casa que, de tão refinada, foi eleita por alguns como a “Casa Colombo de Petrópolis”.

Além da padaria propriamente dita, a casa contava com um bar onde eram vendidas as famosas batidas do Costinha. Batidas de amendoim, limão, coco e pêssego que nem Garrincha foi capaz de resistir!

Foto Google Maps

Leia a reportagem completa sobre a Casa Itararé em: http://petropolisoblentes.com.br/2018/10/28/casa-itarare-escritorio-da-vida/

2. Pedalinho no Quitandinha 

O Quitandinha já é um charme por si só, mas não dá pra negar: os pedalinhos em formato de cisne no lago davam um ar ainda mais romântico ao cenário. A atração foi interrompida em 2017 a pedido do administrador da empresa concessionária.

De acordo com Sesc, de lá para cá o Quitandinha não encontrou uma empresa que cumpra as regularizações necessárias para a prestação da atividade. Quem sabe mais para frente nossos cisnes não voltam? Estamos na torcida!

Foto Reprodução/Wikimapia

3. Mick’s Burger 

A juventude petropolitana nunca mais vivenciou emoção como era a de estar em meio a tantas novidades quanto as proporcionadas pela lanchonete Mick’s Burger. Ao estilo diner americano, o local gerou uma “onda de curiosidade” na cidade.

Pioneiro na venda de salgadinhos a quilo, o estabelecimento também implementou o conceito de self-service na cidade e um cardápio para lá de inovador com direito a uma fatia de abacaxi no hamburger e o famoso Suspirão. Quem lembra?

Foto Arquivo pessoal Gilberto de Paula Araújo

Leia a reportagem completa sobre o Mick’s Burger em: http://petropolisoblentes.com.br/2019/02/12/micks-burger-jogo-de-temperos-e-emocoes/

4. Pista de gelo no Hiper 

Grande evento da região na década de 90, a pista de gelo do Hiper Shopping Petrópolis (ex-ABC) é lembrada com saudosismo pela garotada da época que, agora, lembra com bom humor as quedas proporcionadas pela brincadeira.

De qualquer forma, em tempo ou não de patinação, ir ao Hiper foi ritual de famílias petropolitanas. Vai dizer que não tem uma foto sua ou de alguém da família no chafariz, carrinho decorado ou casinha do Papai Noel?

Foto Reprodução Facebook/Daniela Vivarelli/Flashback Petrópolis anos 70, 90 e 2000

5. Cinema Petrópolis 

Por muito tempo ele foi o maior cinema da cidade, com 1.500 lugares; e também o mais sofisticado, com direito a tapete vermelho na entrada e uma luxuosa antessala, onde eram vendidas balas e chocolates.

O sucesso entre os visitantes era notório: as filas chegavam até a Praça Dom Pedro. Diversão da semana e, às vezes, do mês das famílias, o Cinema Petrópolis era líder nas pré-estreias, matinês e formaturas – já que o espaço também operou como teatro.

Foto: Museu Imperial/Ibram/MinC

Leia a reportagem completa sobre o Cinema Petrópolis em: http://petropolisoblentes.com.br/2018/07/01/cinema-petropolis-um-mundo-a-parte/

6. Os bodinhos da Praça da Liberdade 

Por décadas, o típico programa de domingo da família petropolitana. Era na Praça da Liberdade que as crianças andavam nos bodinhos* e, ao final do passeio, desfrutavam da pipoca sem casca vendida nas carrocinhas.

A pipoca, para a nossa alegria, disponível até hoje! Quem conhece sabe que a especiaria é dificilmente encontrada em outras cidades. Motivo, inclusive, pelo qual muita gente diz que ela deveria ser tida como patrimônio cultural e imaterial de Petrópolis!

*O uso dos bodinhos, bem como o de cavalos para atividades de entretenimento e turismo, que funcionava até 2018, foram proibidos em Petrópolis. 

Foto Arquivo Pessoal Carolinne Abreu

7. Maria Fumaça 

Ê, trem bom! Ao longo de quase 10 anos operou no Centro, ao lado do Banco do Brasil, o restaurante Maria Fumaça. E, pode admitir, mesmo que você não tenha chegado a entrar lá, muito provavelmente se recorda do “sorvetão” que ficava na porta.

O local – famoso entre os frequentadores pelo Churrasco na Brasa e também pelo cozido da casa – encerrou as atividades em 2017, alguns meses depois do também tradicional Fuka’s fechar.

Foto Reprodução/Internet

8. Hóquei no Rink Marowil 

De volta à Praça da Liberdade – é, não tem jeito. Se tem algum local que guarda história é aquela praça. Fora os bodinhos, você sabia que por muitos anos reinaram, no Marowil, os campeonatos de hóquei sobre patins?

Festa para a criançada, a prática se tornou conhecida na cidade e fora dela. Tanto que o rinque chegou a receber patinadores profissionais de todo o Brasil e, inclusive, grupos de fora, como de Portugal. Já pensou?

Foto Reprodução/Tribuna de Petrópolis

Leia a reportagem completa sobre a antiga Praça da Liberdade em: http://petropolisoblentes.com.br/2018/11/18/dando-a-volta-ao-mundo-na-casa-copacabana/

9. Confeitaria Copacabana 

Com mais de 80 pratos no cardápio, a Confeitaria (e restaurante) Copacabana garantia a satisfação dos fregueses, que lá encontravam desde vatapá e feijoada, a camarões com champagne e patê de foie gras.

Incomparável, a casa chegou a atrair artistas como Tônia Carrero e Vinicius de Moraes, que subiam a Serra pela simples satisfação de desfrutar de uma refeição no Copabacana. O ambiente era prazeroso, e a comida mais ainda!

Foto Arquivo Histórico/Biblioteca Municipal

Leia a reportagem completa sobre a Confeitaria Copacabana em: http://petropolisoblentes.com.br/2018/11/18/dando-a-volta-ao-mundo-na-casa-copacabana/

10. Churrascaria Maloca 

Maloca e Maloquinha Piano Bar: combinação de sucesso nas noites petropolitanas. Quem conheceu sabe bem que, além do churrasco propriamente dito, o estabelecimento oferecia uma programação que era um espetáculo à parte.

No roteiro constavam apresentações de renomados artistas como Alcione, Agnaldo Timóteo e Nelson Gonçalves; desfiles, e os animados jantares dançantes. Quem frequentou as “Noites do Charme” de segunda-feira?

Foto Reprodução/Internet

Leia a reportagem completa sobre a Churrascaria Maloca em: http://petropolisoblentes.com.br/2019/05/27/maloca-um-show-de-restaurante/

O comércio petropolitano contado em livro 

Em janeiro deste ano a jornalista petropolitana Carolina Freitas lançou o livro “Petrópolis: o comércio de ontem, a saudade de hoje”, com 44 reportagens sobre estabelecimentos comerciais antigos – alguns deles citados nesta matéria.

Carolina é autora do blog Petrópolis Sob Lentes e da página de mesmo nome no Instagram: @petropolisoblentes. Os interessados em adquirir a obra, que é pautada por comparativos visuais do “antes e depois” do local abordado, podem entrar em contato com ela por lá!

Foto Divulgação

Veja também:

8 fatos curiosos que sempre fizeram parte da história de Petrópolis

8 fotos que vão fazer qualquer petropolitano querer voltar no tempo

14 fotos para relembrar como era a Expo Agropecuária da década de 90

9 empreendimentos italianos que ajudaram a escrever a história de Petrópolis

Essa matéria foi feita em parceria com o Blog Petrópolis Sob Lentes
visitar Petrópolis Sob Lentes Petrópolis Sob Lentes no instagram
Continue Reading

Você também vai gostar

Subir